quarta-feira, 13 de março de 2013

Sob o Poder do Amor!

Você acredita em destino?

Muitas pessoas acreditam até que encontrar o seu amado é uma questão de destino!

Mas de onde vem esta ideia de que há um destino para cada um de nós?

            No mundo cristão, talvez a ideia venha de uma má interpretação do Apocalipse, onde se diz que tudo esta escrito no livro da vida! É preciso lembrar que na visão que o apostolo João teve estava no fim dos tempos, ou seja:

            No Futuro!

            Portanto se pudéssemos nos deslocar para o futuro todos os fatos do passado podem ser relatados com a certeza que eles já ocorreram, mas isso não significa que tudo irá ocorrer exatamente como se tudo já estivesse sido escrito, pois estamos vivendo no agora e não no futuro. Para exemplificar:


           Suponhamos que eu possa viajar para o futuro e ver a copa do mundo que ocorrerá no ano que vem. Bom, posso dizer então que sei os resultados dos jogos, mas isso porque eu estive no futuro, ao voltar para o presente eu não posso dizer que sei quem ganhou o jogo, pois minha memória do futuro só existe no próprio futuro, ao voltar para o passado não dá pra trazer o futuro, da mesma forma que ao ir para o futuro não posso levar a lembrança do tempo que passou durante a viagem, afinal estava viajando no tempo e, portanto o tempo passado não tem registro na minha memória.

            Mesmo para os Gregos havia a ideia de três figuras mitológicas que traçavam os destinos das pessoas, eram as Moiras que praticamente teciam o futuro num tear!!!

            Mas não há destino!
           
            Apenas a ideia que nos destinamos para ser, fazer ou estar é o que há realmente.

            Por exemplo:



            Tudo que foi criado por nós humanos foi gerado de nossa imaginação, até as nossas idéias são baseadas em idéias passadas que trazemos para o presente e com elas projetamos nosso futuro.

            Imaginar fazer uma viagem é a projeção de ir para outro lugar e conseqüentemente outro tempo, mas isso não significa que existia um poder divino além de nossa própria consciência ou algo superior em nós que nos obrigou a viajar, apenas nossa própria vontade ou até mesmo uma necessidade nos levou a isso. Então existe um futuro que está determinado por uma viagem, embora não podemos conhecer sem viajar pelo espaço e pelo tempo.

            É possível determinar isso em nossas vidas, porém tal determinação vem de nós mesmos.

            Portanto não nascemos para sermos par de seja quem for ou algo obriga-nos a ter um sentimento por alguém, somente nossa própria vontade é capaz de fazer par com outra vontade, então não existe uma obrigação que nos faz amar ou nos domina, somente nós mesmos é que dominamos quem ou o quê amar!

            Se as vontades se combinam então por que não amar por estar em redundância com outro ser?

            É como tocar uma nota e a nota correspondente soa também por estar no mesmo espaço e no mesmo tempo.

             Há muito tempo à humanidade tem criado a ideia de que algo superior a nós nos coloca na obrigação de fazer algo, até mesmo contra nossa vontade. Isso se deve ao fato de vivermos em grupos e viver em grupo exige a presença de uma liderança, de alguém que comande e coloque cada ser em seu devido lugar (veja as Poderosas Forças do Poder), ou seja:

            Ainda somos seres dominados pelo nosso ser animal, embora nós achemos ligados a algo superior a nós mesmos que talvez exista ou não, o que é interessante é a descoberta no mundo filosófico de certa ordem que realmente domina a tudo!

            O principio Áureo, ou proporção de ouro, divina proporção... Enfim são diversos nomes, mas a proporção áurea é um valor que se repete em tudo, desde nosso DNA até os objetos celestes, este valor está presente em todas as coisas geradas pela natureza.

            Podemos dizer que este é um fator que coloca as coisas realmente em seu devido lugar, onde qualquer coisa por menor que seja faz parte de algo maior que tudo.
           
            Podemos dizer que se amamos alguém é porque algo maior pode estar por vir deste sentimento, mas é preciso tomar cuidado para não agirmos somente por este ou aquele desejo, como podemos ver em: Sobre o Poder do Amor.  Este sentimento para ser bem vivido é preciso encontrar sua totalidade, aprender a destinar seus desejos para aquilo que você realmente quer isso pode até te levar para o encontro do equilíbrio perfeito com o cosmo, sendo assim você poderá viver Sob o Poder do Amor. Quando houver a maior das descobertas do ser, que é se entregar para ser, se estiver realmente em seu lugar, então poderá viver somente guiado pelo amor, mas antes é preciso governar esta força por que assim como o ódio o amor também pode nos fazer mal, se mal governado. O ódio é o sentimento muito parecido com o amor!


Duvida então olhe:

Quando __________ queremos atingir o outro com nosso sentimento.

Quando __________ brigamos por que a pessoa parece não entender, então falamos alto, discutimos...

Quando __________ queremos corrigir!

Quando __________ implicamos com os atos...

            Enfim! Preencha com “amamos” ou “odiamos” que vai dar o mesmo sentido!

            Mas assim como os animais também governamos nosso ódio!

            Os animais fazem isso o tempo todo! Ao sentir ódio eles mostram os dentes, tentam parecer maiores, até agridem (Veja em: Principio da Contrariedade), mas apenas para mostrar a sua força e então controlam seu ódio para não passar do limite, da mesma forma deveríamos saber governar o amor, mostrando ao outro nossas intenções, nossos verdadeiros anseios em uma relação, o que queremos, quem realmente somos, pois sem fazer isso corremos o risco de até agredir o outro com nosso amor, fazendo com que um sentimento surja embora não haja uma real intenção de uma ligação maior, então sem limites e sem o nosso governo o amor pode ser apenas paixão ou somente um desejo erótico ou até mesmo uma amizade que temos e queremos bem ao outro, sem a necessidade de tocar ou possuir.


            Governar o amor exige sabedoria e até um grande estudo de si mesmo, mas vale à pena, pois a maior parte de nossas vidas e de nosso desejo está em amar e ser amado. Se você passa seis anos em uma faculdade para ter uma profissão, por que não investir seu tempo livre para estudar sobre quem você está sendo pra você mesmo, e quem sabe um dia se aposentar com a mais doce e adorada paz que podemos sentir quando estivermos Sob o Poder do Amor!

Comente com o Facebook: