sábado, 18 de maio de 2013

A Lira do Destino! Parte 1

Há milhares de anos existe a crença na humanidade que todos nós querendo ou não já nascemos destinados para algo. Independente de nossa vontade o Universo realmente segue seu curso.


            O Sol já existe á bilhões de anos, mas em alguns bilhões de anos deixará de existir e com ele os planetas que o seguem estarão confinados a fatalidade do fim de sua estrela, podemos chamar isso de Destino o que não deixa de ser um fato, sabemos até o porquê, porém não se trata de uma ordem com opções variadas e sim uma ordem natural que toda estrela irá ter.
 
De fato os destinos de todas as estrelas estão confinadas a seguir seu curso, como uma canção que pra seguir em harmonia deve estar confinada a seguir certas notas musicais para que cada nota interaja uma com as outras fazendo parte de uma melodia, isso é chamado de harmônicos, podemos dizer que a partir de um certo conjunto, todo o restante segue em ordem de sons que antecipadamente deve fazer parte de uma composição.

Quando ouvimos uma musica, por exemplo, ao entrar em harmonia seja na dança ou até mesmo cantando, cada movimento vem em sucessão ao anterior seguindo uma forma ordenada em ressonância com a musica que estamos ouvindo, isto nos leva a crença de que tudo que esta para acontecer já está preparado para ocorrer e nós não temos como intervir com nossa vontade para mudar o que chamamos de destino!

A bíblia em seu ultimo livro relata a viajem de João ao futuro e neste futuro é feito à revelação de tudo que irá ocorrer até o momento do fim de todos os tempos. Toda esta revelação é feita por Jesus á João e este lhe relata todos os fatos que deverão ocorrer e muitos até já ocorreram.

Um dos pontos mais interessantes é o fato de relatar a existência do chamado livro da vida, neste livro todos aqueles que participarão da existência divina ao lado de Deus tem seu nome escrito e isto leva há uma questão que intriga as pessoas:

- Se o seu nome já esta lá então você já está salvo???

É muito fácil acreditar que tudo esta escrito, como se houvesse uma autorização prévia para fazermos isso ou aquilo, para sermos assim ou assado... Se fosse algo tão simples então todos os acontecimentos são alheios a nossa vontade, aliás, seria algo totalmente inútil acreditar que temos vontade já que tudo segue um curso prévio, nossa função como seres vivos seria apenas seguir esta suposta pré-programação e realizar não a nossa vontade, mas uma vontade superior a nós mesmos.

Daí então vem à questão:

Se já estamos salvos, mas salvos de quê e do que haveríamos de ser salvos?

Se tudo foi pré-programado não haveria nenhum erro e então não haveria necessidade de salvação seja do que for, afinal tudo esta aí é para ser assim mesmo, é o chamado destino!

Sabemos que de certa forma todo este axioma é falso, pois existem erros e enganos, temos que estudar para aprender a dirigir, por exemplo, se houvesse um destino prévio para que alguém se torne motorista bastaria ele entrar no veiculo e por ordem do destino seu ser haveria de ter o conhecimento para dirigir, então aquele que nasceu programado para ser motorista já saberia o que fazer com os controles de um veiculo, porém sabemos que isto não é verdade. Todos nós por mais ágeis que podemos ser precisamos de treinamento. Nossa mente só poderá nos auxiliar para função de dirigir se ela for treinada para adquirir esta habilidade, é claro que a diferenças de velocidade de aprendizagem, mas isto não significa que alguém que aprende mais rápido poderá vir a ser um piloto melhor, isso só ocorre com dedicação e muitas horas de treino.

- Então o que há no livro da vida escrito pra mim, pra você ou  pra qualquer um de nós?

Bom, é um erro achar que seu nome já esta escrito em algum lugar do Universo e toda sua vida esta relatada lá e é bem simples entender que um livro escrito no futuro pode relatar fatos do passado e até do nosso presente, mas um livro do nosso presente pode no máximo relatar tendências para o futuro ou fatalidades como o fim da existência do Sol, mas existem variáveis que não podem ser previstas com uma certeza maior, assim como em uma música, existe a possibilidade de certas variáveis mudarem o percurso da melodia e isto é uma ordem natural do Universo, então há sim um curso, afinal nada surge do nada, algo vem de algum ponto inicial e vai ao outro ponto de forma a seguir um curso e mesmo que haja certa previsão para ser seguida é preciso estar dentro desta ordem para que as coisas saiam exatamente como previsto.

Quando o homem foi a Lua ele usou cálculos matemáticos, obedecendo as leis da física, embora houvesse pequenas variáveis, o homem já previu este efeito e para corrigir era preciso fazer pequenas manobras bem calculada para que a nave chegasse ao ponto desejado com absoluta precisão.

Então não era só apontar para um ponto no espaço e seguir uma trajetória, era preciso fazer correções embora pequenas para que tudo funcionasse.

Sendo assim é possível deduzir que uma pequena falha poderia desviar completamente o curso de uma nave, como uma nota musical ao ser tocada dentro de uma melodia para manter a harmonia é preciso passar por variáveis da composição para manter os harmônicos.

O destino é então a manutenção de uma ordem prévia para obter um resultado preciso.

Neste ponto surge a indagação:

- O que devemos fazer para guiar nossa vida dentro de nosso destino?

Bem, é preciso lembrar que o Destino é um caminho prévio delimitado de infinitas outras possibilidades e por isso não suporta certo numero de variáveis, pois se assim o fizer irá obter resultados totalmente diferentes dentro de sua possível ordem, assim sendo podemos concluir que não há destino a não ser o que fazemos para chegar onde queremos então o destino é apenas uma ilusão de um caminho a ser seguido, quando na verdade qualquer variação nos levaria a um outro percurso diferente de nosso destino e, portanto anulando qualquer efeito passado embora o nosso presente seja resultante de tudo que já nos ocorreu.

Existe, portanto uma ordem em tudo que pode ser confundida como destino, porém seus efeitos vêem de nossa vontade e não que nossa vontade esta sujeita ao destino.

Na segunda parte abordarei o assunto usando os conhecimentos sobre física e a atuação da Lira do Destino em nossa existência.


Comente com o Facebook: