domingo, 29 de dezembro de 2013

The Best of The Best

 (ON)

            Domingo, 29 de dezembro de 2013
            Mais um ano que começa
            E todos estão fazendo promessas
            De que tudo vai mudar
            Da alegria a chegar
            E do melhor acontecer

            Em meio a tantas coisas pra viver
            Qual é a melhor pra você?

            Estamos sempre em busca do melhor: o melhor emprego, o melhor relacionamento, as melhores condições de pagamento, o melhor lugar para morar, o melhor caminho... Em meio a tanta diversidade será que todos conseguem encontrar o melhor?

            Encontrar algo melhor quer dizer que encontramos algo superior ao que já tínhamos algo mais elevado é como ter algo bom e depois querer algo + bom ainda!

            Como um atleta que esta sempre procurando “melhorar” os seus resultados, buscar o melhor é avançar em busca de algo + e há sempre algo + a ser encontrado, conquistado, evoluído... Isso não significa que algo anterior era algo ruim, e sim que era menor ou que era algo que não satisfazia totalmente, melhorar então, seja o que for é acrescer para um bem maior, superior ou mais elevado, o que tínhamos antes pode ser melhorado ou acrescido, então trocar seja o que for, não quer dizer que estamos melhorando e sim desprezando o que temos para ter algo superior!

            É muito fácil fazer isso com objetos, mas será que podemos fazer isso com seres vivos?

            - Você pode trocar o seu cachorro por um cachorro melhor?

            Um filho, por um filho melhor, uma família por uma família melhor... Nós não conseguimos fazer isso com seres vivos por que seja bom ou ruim, melhor ou pior nossas relações com os seres estão em volto de sentimentos, lembranças de carinho e de apego, de vivência e de convivência, mas no mundo moderno que temos hoje não podemos nos apegar as coisas pois sempre há uma coisa melhor no futuro, se você tem hoje o melhor celular de todos os tempos daqui seis meses ele já não é o melhor, então aprendemos que se não é + bom e assim podemos descartar! Muitas pessoas compram um carro por ele ter uma “melhor” avaliação de mercado, mas se você quiser ter outro futuramente mesmo ele ainda sendo bom você pode ter outro ainda melhor.

            É muito fácil fazer isso com objetos e com toda a modernidade,  e algo moderno nada mais é do que o momento atual, indo em constante avanço para melhor podemos sim descartar coisas e ter outras, mas onde está o real valor nas coisas?

            Está no que elas são ou somente no fato de serem melhores?

            É bom lembrar que para tudo que existe o tempo é o que as realizou, foi com o tempo que o homem descobriu a possibilidade de fazer automóveis, celulares, televisores etc. e tudo isso tem evoluído de forma rápida e impressionante, mas por que o tempo possibilitou o homem à evolução de seu próprio conhecimento e com isso a inteligência do homem também tem melhorado, mas com um detalhe:

            Melhorado para construir coisas, formar atletas melhores, mais saudáveis e fortes enquanto nós mesmos olhamos uns para os outros e qualificamos este ou aquele ser como sendo o melhor!!!

            Agora! Como descartar os que não são?

            E o que nós fazemos para que o outro ser seja um ser melhor?

            Estamos vivendo num mundo cheio de exigências cada vez maiores e quanto + bom + a certeza de ser o melhor???

            Em 2000 um programa de televisão chamado “No Limite” colocou um grupo de 12 pessoas em um local com mais de 150 mil metros quadrados de dunas, falésias, coqueirais, matas de cajueiros, vegetação rasteira e pequenos desertos, forneciam barreiras naturais para que se testasse a capacidade de sobrevivência dos concorrentes em uma região inóspita. Eram 12 participantes no total, de diferentes idades e capacidades físicas, entre eles estavam à participante Elaine Cristina, uma cabeleireira simples humilde que não tinha lá um porte físico atlético, mas por incrível que pareça o seu controle emocional e sua determinação fez com que ela vencesse o reality show de forma surpreendente derrotando na ultima prova a participante Patrícia Diniz, oito anos mais nova e com porte físico atlético e saudável.

            Isso mostrou pra mim que aquela frase:

            - Que vença os melhores!

            Não é uma regra!

            Não há nada pior no ser humano que buscar amar e adorar somente o melhor.

            Digo isso por que sempre há um melhor e há também aqueles que se saem melhores, mas isso não significa que o melhor sempre vence que há totais garantias que fazem alguém melhor ser vencedor ou pelo fato de parecer melhor vai fazer a pessoa ser feliz.

            Então como saber o que é melhor para nós?

(OFF)

            Deus não joga dados com o Mundo!

            Esta frase acima foi dita por Albert Einstein, que para criticar a física quântica disse isso, por ver nela uma incoerência com a realidade física macroscópica.

            A realidade física na qual vivemos não se parece em nada com a realidade física na escala atômica, ou seja: na escala dos átomos, mas isso por que os átomos estão em movimento há velocidades físicas impressionantes, e consciente disso Albert Einstein elaborou a fórmula matemática mais famosa do mundo: E = M x c2  que significa que a energia (E) é igual a massa (M) multiplicada pela velocidade da luz (c) ao quadrado. Esta fórmula nos diz que a massa e movimento são o mesmo que energia (No artigo: O Universo Passo a Passo, vou esclarecer meu entendimento sobre este assunto de forma mais abrangente) se no mundo dos átomos é impossível determinar a localidade de uma partícula em um determinado espaço de tempo, mas ao tentarmos aproximar, não o mundo dos átomos ao nosso e sim o nosso ao mundo dos átomos podemos criar a seguinte analogia:

            Imagine que para ver o que acontece da janela de um prédio o que se passa na rua você precisasse jogar “bolhas” do tamanho de bolinhas de gude e essas bolhas acertassem um objeto e umas voltassem até você com a informação do objeto que elas tocaram, mesmo que isso ocorresse à velocidade da luz haveria uma discrepância da informação, pois ao tocar um objeto e voltar para você haveria uma perda de tempo entre a informação desejada com a informação adquirida e a informação recebida, isso quer dizer que ao analisar todos os dados haveria perda de informação então ao ver, por exemplo: um carro parado no semáforo e tentar buscar a informação do semáforo se ele está aberto ou fechado e se o carro pode sair haveria falhas na informação adquirida e então não teríamos certeza se o carro parou no momento exato do fechamento do semáforo ou se saiu exatamente no mesmo instante em que ele abriu.

            A perda da informação pode ser comparada a perda da energia que foi consumida pelas “bolhas” então para termos a informação correta temos que consumir “energia” e isto quer dizer que consumimos a massa da própria informação desejada. Matematicamente ficaria assim então:

            M = E/c2  

            Ou seja:

            Só temos a informação se interagirmos com a própria informação, fornecemos então um pouco da nossa energia e recebemos de volta a energia de outras massas.

            Bem o que isso tem haver com o assunto?

            Não é possível ter uma “melhor” informação dos fatos ou dos acontecimentos se não nos dermos parte de nós para os mesmos fatos ou acontecimentos e nessa interação não há como saber se há uma certeza absoluta de qual foi à ação tomada seja da abertura do semáforo ou do momento de parada ou saída do veiculo e se esta interação foi a melhor. O que vem a dizer que ‘Deus não joga dados’ pois no ato de jogar você já forneceu parte de sua energia para observar e ter um resultado daí em diante esta interação de toda massa em movimento é igual à energia empregada para o mesmo. A velocidade dos fatos c2 tratasse da estrutura dinâmica de todo Universo, que vou tornar ao assunto no artigo Universo Passo a Passo que abordarei mais adiante.

(Power)

            Estamos em um Universo aparentemente infinito, com tempo infinito, espaço infinito e cheio de possibilidades infinitas.

            Agora imagine que há também um infinito de coisas melhores, de situações melhores, de fatos melhores, de pessoas melhores, de relações melhores, de filhos melhores, de vidas melhores, de empregos melhores e de convivências melhores... Será que alguém em todo o Universo pode definir em seu lugar o que é o melhor pra você?

            Logicamente que NÃO!

            Pois não há limites!
           
            E se não há limites só há uma única forma de definir o que é melhor!

            Jogar os dados!

            O resultado seja ele qual for e também pode ser o resultado que não é o melhor, pois como vemos o melhor se encontra no infinito e se você está vivendo agora e fazendo o seu agora seja este seu agora bom ou ruim, melhor ou pior este é o momento que você tem para interagir com todo o Universo e faça o que você fazer, escolha o que você escolher não espere em tudo somente o melhor, pois neste jogo a cada momento e a cada segundo há sempre um infinito de possibilidades há sua escolha e mesmo que você não escolha o fato de não escolher já é + uma escolha.

            Então não pense que o amor da sua vida vai ser aquele que é o melhor pra você!
                       
            Entre sete bilhões de pessoas no mundo inteiro todas ficassem esperando pra ter somente o melhor vai ter de esperar pelo infinito, pois o melhor está sempre no além do agora e é no agora que temos que ter a nossa existência.

            Se todos nós esperarmos para amar somente o melhor cada um de nós vai ter de esperar por um Deus em sua vida.

            Então ame o que você tem agora pra amar, viva o que você tem agora pra viver e pare de sonhar com a vontade de um Deus porque este tem o infinito pra ficar jogando dados e você esta dentro deste Universo ‘agora’ dentro de um limite de espaço e de tempo e neste limite seja qual for o resultado dos fatos será sempre de fato o resultado de sua interação com toda esta massa do Universo, então invista sua energia neste entrelaçamento do seu agora com o que será pra sempre! Vá viver e vá amar de verdade, não porque é o melhor e sim porque a maquina que você tem agora, seu corpo seu físico é a única maquina que você não pode descartar para ter outra melhor, portanto o melhor já está em você.


terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Jesus! Quem foi e Quando Voltará!

           Se eu intitula-se este artigo com o nome:

Yehoshua! Quem foi e Quando Voltará!

Raramente alguém iria associar este texto a Jesus, afinal Jesus é o nome mais conhecido por todos, mas a questão que quero chamar a atenção aqui é:
Se erraram até na tradução do nome, imagine na tradução do que Ele disse?

A letra “J” não existe no Aramaico que é considerada a língua materna de Jesus, e é interessante chamarmos este povo de “Judeus” sendo que a letra “J” nem existe para eles. Existem outras palavras que também não existe para o povo onde nasceu Jesus, como Diabo e Satanás, que mais se aproxima é Caluniador e Opositor respectivamente, também a palavra “AMOR” que é dita muitas vezes como tendo sido dita por Jesus também não existe na sua língua materna.

Bem não vou trazer aqui um estudo abrangente e etimológico sobre estes conhecimentos, pois hoje em dia qualquer pessoa que quiser se aprofundar no conhecimento pode buscar isso na internet e na leitura de livros, existem diversos estudiosos que dedicaram anos de estudo para nos fornecer estas informações e com certeza seus conhecimentos tem por base o próprio estudo de outras demais pessoas, o fato é que se erros assim existem na bíblia, erros de tradução mesmo e de interpretação quantos mais erros de pensamentos e idéias que nos foram passadas e transmitidas ao longo do tempo, os evangelhos foram escritos muitas décadas depois da ida de Jesus (não vou dizer morte, pois é certo que ele ressuscitou, portanto não está morto) e que muito antes de existir os evangelhos as cartas escritas pelos apóstolos eram a forma de transmitir o pensamento cristão aos seus demais seguidores em outras localidades. Algumas dessas cartas estão na própria Bíblia e o fato interessante é que em muitas delas vemos frases como:

_- Quem tem ouvidos ouça... Ou:
_- Ouçam a palavra...

O que nos mostra que as cartas eram lidas publicamente, já que as pessoas que sabiam ler eram poucas e até mesmo as que sabiam escrever e ainda mais traduzir para outras línguas eram raríssimas.

O latim era a língua nativa falada próxima a região de Roma, mais especificamente em Lácio e foi usada pelo Império Romano que ao se converter para o cristianismo acabou sendo usada pela igreja de Roma para levar o evangelho aos novos Cristãos de diversas nações, o latim é uma linguagem que não é falada por nenhum país oficialmente e é considerada uma língua morta, mas voltamos no tempo um pouco para falar sobre a leitura das cartas: no inicio da era cristã muitos queriam saber e conhecer as histórias sobre este homem que se tornou para muitos o próprio Deus em vida também é considerado o filho de Deus que veio ao mundo para resgatar a humanidade do “PECADO” que é mais uma daquelas palavras que foram ganhando sentido ao longo do tempo diferente de sua origem, pecado e pecar é visto como sendo de mesma origem, porém pecado vem de transgredir e transgredir seria a desobediência enquanto que pecar vem de tropeçar, que seria o equivalente a dizer que alguém errou ou falhou, mas não por vontade própria e sim por falta de atenção. É comum entre os cristãos considerarem que todos nós nascemos do pecado, porém para os Judeus todos os homens nascem sem pecado já que a desobediência de Adão e Eva não recai sobre seus descendentes, é comum também as pessoas acharem que o sexo é propriamente o pecado, mas no inicio da era cristã o pecado era simplesmente a desobediência aos mandamentos e o abuso do direito de liberdade.

Antes de prosseguir quero deixar claro que minha crença pessoal é de orientação Cristã (está palavra “Cristo” vem do grego Khristós que significa ungido, ou seja, que é dedicado a Deus, que serve a Deus), porém não sigo nenhuma doutrina de orientação religiosa que também tem sua origem, a religião, no encontro que as pessoas faziam para ouvir a leitura das cartas dos apóstolos que com o tempo passou para o grau de entidade, como uma reunião eclesiástica que mais tarde ganhou o sentido de liturgia que nada mais é que a celebração dos sete sacramentos que por fim elevam a fé no próprio comportamento humano, bem como o amor a família e a sociedade humana como um todo. Mas sigo a orientação cristã como uma filosofia a ser aplicada sobre nosso próprio existir que não altera em nada a minha observação e respeito aos sacramentos, só não vejo que a intenção de Jesus tenha sido compreendida por todas as religiões que o colocam como ser superior a humanidade... Mais adiante ficará mais fácil me entender.

Portanto antes de Jesus o pecado era desobedecer às leis escritas por Moisés, porém Jesus surgiu com novos mandamentos e observações que ele mesmo fez sobre a leitura e compreensão destas leis de forma mais humana e consistente com uma verdadeira sabedoria a ser seguida por todos sem discriminação sexual ou de raça.

Um exemplo disto é a condenação de Maria madalena a ser apedrejada em praça publica segundo a lei deixada por Moisés, Jesus, porém não interveio ao que iria ser feito, ele simplesmente disse:

Quem estiver sem pecados que atire a primeira pedra!

Bem, antes de prosseguir quero dizer que: É bem provável que Jesus não tenha dito exatamente estas palavras o que é sábio é que na época os homens eram quem praticavam o apedrejamento e como o povo Judeu já estava há décadas sobre o domínio de Roma e como é de costume para os Romanos todos eles terem iniciação sexual com prostitutas, os Judeus também teriam adquirido este modo cultural de agir, portanto quando levaram Madalena diante de Jesus para saber se ele iria desobedecer mais esta lei de Moisés é bem provável ele ter dito:

Quem nunca esteve no prostíbulo que atire a primeira pedra!

Isto indica que ele não distinguiu se era apenas a mulher que prostitui como também igualou a todos a pratica da prostituição, portanto a lei de Moisés não diz que é apenas a mulher que prostitui, mas sim todos que recorrem a esta prática sexual também estão em prostituição.

Chegamos aqui ao ponto crucial deste artigo:

Jesus, Quem foi?

            Quando eu era criança queria entender o porquê do natal, quem era Jesus, quem ou o que é Deus...  Eram varias questões que eu queria entender, porém insatisfeito com as explicações das pessoas que me rodeavam decidi partir para o estudo próprio sobre estes assuntos, aos 11 anos de idade ganhei um Bíblia católica e parti para a leitura diária e dedicação para obter o conhecimento.

            Logo de inicio fui ficando frustrado com o que lia!

            Deus da bíblia era o Deus do povo de Israel, de Abraão... Até Jesus Cristo era da estirpe de Davi. Em nenhum momento encontrei algo que mencionasse Deus como sendo o Deus de toda a Humanidade, o Deus de todo Universo, o que ficou claro pra mim era que Deus assim é considerado por ser o criador de tudo, ou seja: Não é algo dito por Deus e sim uma dedução lógica da própria Humanidade.

            Tal frustração me levou a sentir que eu era um ser inferior na criação, não pertencia diretamente ao povo de Deus, mas pra minha salvação havia um caminho: Jesus Cristo!

            Segundo o conhecimento de todos este havia morrido para resgatar toda humanidade!

            Assim eu também acreditei, mas com o tempo sentia a necessidade de ter mais conhecimento de obter mais informação e esclarecimento sobre isso.
            Vivi grande parte de minha vida como um homem comum, levando uma vida comum dentro de um conhecimento comum e igual a todos.

            Mas as questões não paravam de vir a minha mente!

            Afinal quem foi Jesus, o que ele realmente queria dizer com sua morte e sacrifício pela humanidade?

            Via pessoas adorando o homem que é considerado o filho de Deus, pois ele disse que:

            - Ninguém vai ao pai se não for por mim!

Mas daí eu já via um erro enorme sobre o que isso quer dizer!

Não foi dito que só é salvo quem o Adorar, quem o celebrar e amá-lo! Isso é o que a maioria da humanidade veio a entender, porém dizer que ninguém vai a Deus se não for por Ele quer dizer que ele conhece o caminho... Para esclarecer isso vou usar de uma metáfora:

Digamos que Jesus tenha ido à Índia e que voltou para dar noticias a todos de como é a vida lá na Índia, alguém chega e pergunta a ele como é que podemos chegar à índia?

Ora! Ele responderia que por ser o único ali que já esteve na Índia diria então que conhece o caminho e se alguém quer chegar lá deve seguir o caminho que ele está dizendo que fez.  Ou seja:

- Ninguém vai há Índia se não for por mim!

O que ele quer dizer então que pra alguém chegar lá deve seguir pelo caminho que ele está dizendo.

O que a humanidade faz hoje em dia é como uma nau que está sendo levada pelos ventos, basta então adorar o vento que o vento vai levar sua nau onde você quer, ou até (como dizem) o melhor lugar que o vento escolheu pra você!

Ora! Não há como o vento saber o que é melhor pra você e também não será por que você diz amar o vento que o vento vai passar a soprar ao seu favor!

Em minha forma de ver tudo que está relacionado a Jesus acabou ganhando status de adoração a um ídolo, quando na verdade trata-se de uma nova visão sobre o conhecimento de Deus. Jesus muitas vezes falou das escrituras como no sermão da montanha onde ele fala sobre os 10 mandamentos, como:

- Ouvistes o que foi dito: não matarás!

- eu em verdade vos digo que todo aquele que se enfurecer contra o seu irmão (irmão no sentido de se enfurecer contra seu semelhante) já estará em pecado...

Existe outras citações onde Jesus questiona os mandamentos de Moisés, como guardar o sábado, onde ele diz que os homens não foram feitos para o sábado e sim o sábado para os homens, como as proibições da lei de Moisés com relação a certos alimentos e Jesus diz que não é o que entra pela boca que contamina a alma do homem e sim o que saí.

Fica óbvio que a tentativa de prender Jesus e seus seguidores partiu dos anciões que se viram ameaçados em perder os seus valores de crença por causa das contra argumentações de Jesus e como a lei de Moisés condenava assim quem fazia se viram no direito de condená-lo a morte.

Havia 18 tipos de desobediência as leis de Moisés que poderiam condenar as pessoas à morte e Jesus por muitas vezes desobedeceu estas leis e até impediu que elas fossem cumpridas como no caso da condenação de Maria Madalena.

Vemos então Deus de duas formas diferentes na Bíblia:

1.    Em um primeiro momento Deus é um homem severo, cheio de autoridade e exigente de obediência e como se não bastasse era também inquestionável em suas leis e julgamentos.

2.     Depois de Jesus, Deus passa ser um pai generoso e bondoso que ama a humanidade e trás a verdade a quem procura pela simples questão da fé, capaz de perdoar e aceitar nossas falhas sem a punição severa e imposição de castigo há quem erra.

Logo após a ida de Jesus muitas pessoas começaram a contar histórias e querer saber mais sobre este, os apóstolos em suas peregrinações se viam obrigados a contar e as pessoas, que passaram então a se reunir para ouvir as histórias, a leitura de cartas que eram enviadas a estas comunidades para buscar manter a unidade da crença e da fé passou a ser de leitura por muitos, varias outras cartas que não estão na bíblia também foram enviadas, as pessoas interessadas em saber sobre os ritos e as pregações das chamadas Boas Novas começaram a ganhar um local próprio para celebrar e repetir estes ritos. O próprio Jesus na celebração da páscoa deixou aos apóstolos a incumbência de repetir os seus gestos, na chamada hoje de santa ceia, como a entrega do seu sangue e sua carne para purificação dos homens.

O próprio Jesus se consagrou como sendo ele mesmo a representação da própria verdade em vida e a partir desta representação deixou aos apóstolos o rito de dividir e entregar sua carne e sangue, representados pelo pão e vinho a todos que assim aceitarem, a partir de então, estarão vivendo em comunhão com a verdade. Certamente este rito tem um significado maior do que o que é aplicado hoje, pois as pessoas não levam em consideração que a partir daquele momento estão elas em comunhão com Jesus, em outras palavras com a verdade, o que quer dizer que nossos atos e palavras são agora como uma extensão de atos e palavras do próprio Jesus em nós.

Embora existam diversos erros nas traduções e entendimento do próprio Cristianismo, Jesus foi com certeza um grande alquimista e tinha um conhecimento muito elevado sobre a própria natureza humana e também da física, como o fato de multiplicar pães e peixes curar as pessoas e realizar outros prodígios, mas ele não disse em nenhum momento que era o único a fazer isso, pelo contrario, muitas vezes ele disse às pessoas que eram curadas que a sua fé os tinham curados, também disse aos apóstolos e demais que seriam capazes de realizar o mesmo até além do que ele fez.

Sem duvida quem chamamos hoje de Jesus foi um dos maiores homens no sentido mais humano de toda humanidade, capaz de realizar feitos que estão além das próprias leis da física atual, porém não foi um mágico super dotado e nem ao menos alguém que nasceu com um roteiro pré programado para seguir, ele se propôs a seguir este caminho por um conhecimento e compreensão da necessidade de elevar o espírito humano, de liberdade de pensamento e expressão do mesmo, já que ele mesmo foi muitas vezes um incomodo para os de sua época, em ver que suas crenças estagnadas no tempo, estavam sendo desmascaradas por um simples homem sem exercito ou riqueza, sem herança ou privilégio, Jesus que se intitulava Rei dos Reis sabia muito bem que o seu reino não era daquele mundo e muito menos deste nosso mundo atual, reinar significa governar, estabelecer uma ordem e manter as pessoas ligadas no sentido de estarem sobre um reinado, ou seja sobre um governo e não existe um Rei maior do que um Rei que governa com o conhecimento da verdade universal, uma verdade que serve para todos os reis e mundos, lugares e seres que é a verdade do próprio conhecimento. Um ser que possui o conhecimento do que é o bem e do que é realmente o mal ao transgredir o seu conhecimento estará transgredindo com a própria verdade de seu conhecimento, assim estará fora de estar em comunhão com este ser que foi o primeiro ser humano a chamar a si mesmo de Verdade!

Bem eu poderia me estender muito mais sobre o assunto, mas gosto que as pessoas pensem por si só e a partir das minhas ponderações, afinal a verdade é a evidência de si mesma, então vou partir agora para ultima parte:
Quando Voltará?

Existe a crença que Jesus voltará para reinar sobre a terra e julgar a todos os seres, desde os vivos até os que já morreram!

Se Jesus voltasse ele então deveria estar vivo até então!

Bem para isso ele teria de estar em algum lugar do Universo com seu corpo físico, inspirando oxigênio e sobre a pressão atmosférica...

Será então que ele virá de uma nave espacial???

Bem, pessoalmente não acredito em um retorno físico do ser chamado Jesus e sim no encontro de toda a humanidade com o conhecimento da verdade.

O apocalipse trás uma série de noticias do fim do mundo e tudo mais, mas é preciso lembrar que Jesus nasceu entre o povo Judeu e certamente certas coisas que ele dizia se tratava dos fatos que ante vinham ao seu povo, como o fato dele dizer que não iria ficar pedra sobre pedra e que aquela geração no qual ele estava presente viria isto, então ele estava falando mesmo do fim da cidade de Jerusalém que acabou sendo destruída algumas décadas depois de sua ida aos céus.

O reino dos céus em meu entendimento não significaria um reino feito para o ser humano fora do planeta Terra e sim o reino do futuro, pois o futuro estaria ao longe, ou seja; em outro espaço e tempo, por isso dizer “o reino dos céus” seria como dizer o reino que virá no futuro em outro tempo e obviamente em outro lugar no espaço já que o nosso planeta não só gira em torno do Sol como este também gira em torno da nossa galáxia que também está se movendo para outro ponto do espaço a cada momento. Portanto nunca estamos no mesmo espaço e cada espaço é dado em outro ponto no céu.

Jesus ao dizer que ele voltará e que nós ao receber seu sangue e sua carne para estar em comunhão com ele estaríamos todos então sujeitos a verdade, o que quer dizer que se todos nós em conhecimento e ação e em cada atitude, deveríamos agir como sendo ele próprio e então a humanidade como um todo integrada neste conhecimento estaria então sob o seu reino.

Isto vem a dizer que nós é que fazemos este reino.

Existem outros tantos mistérios para falar sobre Jesus e seus ensinamentos, mas o que há de certo é que um Rei só é Rei se convencer a todos que o seu reinado, ou seja: sua supremacia, sua soberania, seu poder de autoridade deve ser obedecido e nada é mais forte do que a obediência a verdade.

Se já sabemos que pular em um abismo nos causa a morte, esta é então a verdade para com todos.

Se ninguém pular, ninguém irá morrer, então não espere que o seu rei seja obrigado a estar lá embaixo para te segurar nos braços, pois a verdade é que você sabe que não deve pular então obedeça a seu rei da verdade e não pule, mas se você já esta em queda lembre-se que o perdão é a corda que está do seu lado e que você pode agarrá-la e não cair na tentação de chegar ao fundo, então deixe reinar em seu coração a verdade, para que com ela você viva bem e por fim a sua vida será a sua verdade.

Amém.

Para conhecer a trilogia deste artigo siga os links:


            Deus! O que é e Onde encontrar!

domingo, 22 de dezembro de 2013

O Que é Justiça!

           Não entendo o senso de justiça de hoje!

            Vejo em jornais e televisão as pessoas falando assim:

            - Ele tem que ser preso, pois representa um perigo a sociedade!

            Ou quando o sujeito depois de cumprir pena ao sair da prisão se houve dizer:

            - Ele está apto a voltar pra sociedade!

            Afinal... Alguém deve ser julgado pelo crime que comete, não pelo perigo de cometer novamente outro crime! É o que eu costumo chamar de vil violência. (http://reflexhuman.blogspot.com.br/2009/01/vil-violncia.html ) Cada um só se importa com o seu problema e até na hora de se fazer justiça isto aparece. Ouve-se o relato do crime, busca-se revelar os fatos e então quem ouve não olha por quem sofreu e sim para si mesmo, para o perigo que  se tem com aquele que está sendo julgado, pode fazer para consigo e com os seus o mesmo mal!
            Isto não é justiça!
            É apenas medo!
            E por medo as pessoas não enfrentam o delito como deveria ser enfrentado.

O símbolo da justiça é justamente uma balança e significa que há uma medida a ser cumprida e um peso a ser seguido, isto quer dizer que se você ou seu semelhante não seguir certas medidas, tira-se a medida e do outro lado sobra-se um peso a cair, este peso é a justiça, mas a sociedade parece que anda invertendo o sentido do real símbolo da justiça, pois se coloca medidas e o peso só é sentido por aquele que foi injustiçado!
            A justiça também era cega, mas ultimamente ela anda enxergando até o que não devia, por exemplo: Um jornalista ao cometer um crime deveria sentir o mesmo peso da justiça de um faxineiro que cometeu o mesmo crime, Porém o que se vê é que o jornalista diferente do faxineiro tem muitos privilégios até na hora de cumprir pena, prisão especial, cela diferenciada...

            O fato de ter um diploma, até mesmo um diploma que não é mais uma exigência da profissão, lhe garante uma melhor atenção, um cafezinho durante o julgamento e tudo mais. É como se a justiça que antes era cega agora enxerga que um diploma é como um cartão de crédito especial, ao ter um diploma você recebe um tratamento vip pela justiça e mesmo sendo condenado, ainda sim tem seus privilégios!

             O símbolo da justiça também trás uma mulher que antes ficava sentada, agora parece que não consegue mais sentar ao ver tantas leis que não funcionam como mecanismos da própria lei, e sim como uma mecânica anti à lei. Como o fato de um réu não poder produzir provas contra si mesmo, parece uma lei justa, mas se o réu está sendo julgado é porque algo por mais distante que seja há de suspeitar que foi este o agente de algum mal realizado, portanto qualquer prova que o próprio réu pode produzir é posterior ao crime que está sendo julgado e esta prova só atribui um valor contra o réu se a contra prova produzida por ele tiver valor diferente da prova. Isto que dizer que só pode ser considerado prova se houver valor igual e sendo de valor igual é uma prova contra ele mesmo, mas a justiça, pelo menos a do Brasil, não pode colher a contra prova já que esta antes mesmo de ser colhida e verificada com os fatos, já é considerada contra o réu. Dai então a justiça fica de pé andando de um lado para outro sem saber como julgar já que a própria lei é contra a mecânica da própria lei, e a justiça tem que queimar calorias sem poder andar no tempo real dos fatos.    

            A justiça também tem em sua mão direita a espada que antes representava a coragem, a ordem e a força necessária para que a justiça seja realizada, mas hoje em dia a espada da justiça mal serve para partir o pão, talvez funcione para passar margarina em certas mãos e deixar deslizar a ordem e a força contra aqueles que são injustiçados e a espada, assim como uma corda, acaba cortando somente para o lado mais fraco.

            Justiça é na verdade o direito que todos devem ter ao ser justo, que de certa forma significa ser firme, seguro, confiável como quando calçamos um sapato que se for folgado demais torna-se desconfortável e se for apertado demais torna-se inconveniente usá-lo, em ambos os casos o uso de um sapato apertado ou folgado pode nos machucar, criar feridas!

            Assim para que algo seja bom para todos é preciso ser justo para cada um de nós, ou seja: equilibrado e adequado ao nosso ser e desta forma a justiça deve proteger e pleitear por aqueles que andam adequadamente, comportando, respeitando e obedecendo as convenções que foram criadas para que cada um de nós possa ter os mesmos direitos obrigações e deveres uns com os outros. Portanto a Justiça é a convenção que existe dentro de uma sociedade onde todos são realmente vistos como iguais.

            Porém, as leis com as quais são feitas tais convenções acabam se chocando com o próprio excesso de convenções que vão sendo criados ao longo do tempo, numa tentativa de igualar todo e qualquer julgamento não se faz um julgamento e sim apenas uma tentativa de criar uma mecânica que substitua o próprio julgamento.

            Como num caso que passei há quase dois anos atrás onde por lei eu poderia exigir uma indenização de até 10 salários mínimos!

            Acontece que no julgamento o réu não compareceu e a juíza estabeleceu por sua própria convenção a culpa do réu, só que ao estabelecer a culpa em seu próprio julgamento ela considerou a multa de 10 salários mínimos como uma tentativa de enriquecimento ilícito sendo que ao invés de questionar os fatos, caso que não ocorreu, pois o réu não estava presente, ela simplesmente acabou estabelecendo uma multa que não chega a 10 % do valor exigido por mim.

            Bem! Antes de qualquer coisa o que eu entendo por justiça é:

            Independente de qual seja o crime ou o ato litigioso se a lei me permiti uma pena máxima, seja ela qual for, é claro que eu vou exigir a pena máxima para o réu, cabe ao julgamento estabelecer se a pena aplicada será a maior ou menor em questão, mas como é comum seguir uma ordem quase que mecânica de raciocínio e a juíza nem se quer me perguntou quais foram os motivos de eu ter exigido tamanha punição e sem um por quê deduziu tal punição. sem ao menos me questionar, ela já me disse que se eu não estivesse satisfeito deveria entrar com recurso!!!

            Hora! Contra quem?

            Só se eu entrasse com recurso contra a própria justiça que sem a presença do réu julga os fatos sem conhecimento dos mesmos!

             Em todo o caso eu ainda não recebi nem o meu dinheiro e muito menos a multa de 10 %. O que indica que o réu conhecendo a forma mecânica com que trabalha a justiça de hoje, não se preocupa em sua própria defesa já que este está ciente de sua punição, e assim ao não comparecer tem a grande vantagem de também não indenizar os danos causados pelo mesmo, já que a justiça não julga os fatos através do conhecimento dos mesmos e muito menos o obrigou a indenizar de forma a punir o ato litigioso.

            Sendo assim o que é Justiça deixa de ser justo correto e integro para com todos e passa a ser só um trabalho mecânico onde as ações tomadas só respeitam uma ordem de raciocínio sem o conhecimento do que de fato é e quais são aqueles que estão realmente trabalhando com a ferramenta da justiça, apenas se encaixa uma peça em tal lugar e se esquece de entender se tal peça realmente serve para a mecânica exigida no trabalho a ser realizado.

            O que vejo então que a tentativa de ser justo nos leva a crer que uma punição vai ser aplicada então mesmo vendo a justiça quem é o réu não age em sua defesa, puni-se então o requerente da ação!
            Há dessa forma uma perda da punição que nunca é aplicada se o réu se cala diante do seu próprio julgamento.
           
            O peso da balança fica então maior pra quem está buscando a justiça e os que não respeitam as leis e convenções de nossa sociedade acabam de certa maneira vivendo dentro da sociedade como um câncer que cresce a cada dia sem ordem e sem limites e se vê alimentado pela própria sociedade que numa tentativa de proteger os direitos de todos não pune a todos com o devido peso que deveria ser sentido.

            Assim como um câncer que precisa ser combatido com o mal, seja ele quimioterápico ou radiativo, e depois removido do ser (sociedade) a justiça deveria agir para que nenhuma célula de nossa sociedade se veja livre para desobedecer às convenções e fazer por si mesma a sua multiplicação mesmo que para isso sofra todo o corpo da sociedade, afinal a quimioterapia ou a radiologia afeta todo o organismo, todos devem ser afetados para que este tumor que é a justiça de hoje não seja uma mamãe boazinha que pra não prejudicar seus filhos deixa os mais ousados livres para continuarem a serem ousados e se safem da pena máxima que é a punição realmente sega e a remoção pesada deste tumor que se tornou a justiça do bem com todos nós, até com os injustos!

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Das Relações Humanas

Do individuo!

            Por volta de 1992 eu trabalhava de vendedor na Avenida São João, esquina com a Don José de Barros em São Paulo Capital, e de frente desta loja eu e outros vendedores pudemos acompanhar a vida de um casal de mendigos que sempre viviam por lá. Por cerca de dois anos seguidos vimos aquele casal que mesmo vivendo em um estado de extrema pobreza pareciam muito felizes um com o outro, até suas afeições eram muito semelhantes e estavam sempre sorrindo trocando caricias e se beijavam freqüentemente.
           
            Certo dia eles estavam sentados juntos com outros mendigos dividindo um marmitex e ele estava com o marmitex na mão dele e ela foi pegar uma coxa de frango e ele pegou primeiro, ela tentou puxar a mão dele para dar uma mordida e ele virou para o outro lado, ignorou-a, sem trocar uma palavra como se fosse um neandertal, ela triste baixou a cabeça, outro mendigo que estava ao lado ofereceu uma cocha de frango pra ela e ela voltou a sorrir e começaram a conversar daí em diante seu novo companheiro passou a ser o novo gentil cavalheiro que lhe ofereceu a coxa de frango!

           Na hora rimos da situação, mas depois a lembrança daquela cena que vimos foi nos deixando chocados com o que ocorreu. Por muito tempo após nós vimos ainda o novo casal juntos de mãos dadas e o outro que perdeu a namorada por um simples ato de egoísmo sozinho, solitário, andando nas ruas atrás de pontas de cigarros e de latinhas!


   
       Por muito tempo falamos sobre aquele fato ocorrido e pensamos sobre os valores das relações humanas.

            Pode parecer uma atitude até bizarra de quem vive em um estado de extrema pobreza, mas o que dizer de pessoas ricas que se separam por morarem em estados diferentes e por manterem seus negócios em outros lugares, ou preferem seguir a carreira profissional com o fim da relação, do que ter sua família?

            E o mais intrigante é que por anos eles conseguem manter a relação, terem filhos e em algum momento a situação profissional se torna mais importante do que toda relação amorosa, do fato de terem filhos juntos, de todos os laços familiares construídos...

Do Coletivo!

            Em 2006 eu descobri o famigerado Orkut, e fiquei maravilhado com a ideia de poder compartilhar idéias com pessoas distantes, ter a liberdade de falar sobre qualquer assunto, participar de discussões e criar comunidades, tópicos... Enfim era a recriação da Eclésia da Grécia antiga na era moderna. 

         O grande problema foi que em meio a tanta liberdade, com todos tão livres para criar comunidades, tópicos e tudo mais, todos procuravam validar somente seus argumentos e atitudes, todos lutando pela própria apresentação de seu grande e estimado ego, não havia um real interesse em busca de ideais que pudessem servir de base para sociedade como um todo, eu mesmo tentei debater idéias como a coleta seletiva do lixo com o tópico Atitude Colorida imaginando que a ideia pudesse ser debatida com interesse de todos, mas sempre aparecem aqueles que pra tentar se destacar ou sei lá porque, buscavam desvalidar uma ideia seja ela qual for, por um simples erro de ortografia, a falta de uma vírgula ou de um acento, eu chamava estes de “Caçadores de Pormenores”, pois estavam sempre querendo zombar dos erros dos outros  'por menores' que fossem estes erros,  outros sempre vinham com idéias de que tudo deve ser feito pelo governo...

            Parece que ninguém percebeu que ali estava uma grande ferramenta para ser usada na construção de uma nova forma de governar, que nada mais é, do que a tão fadada Democracia onde todo o poder emanaria do povo, ali tínhamos uma grande forma de moldar o poder, emanar o que o povo realmente deseja e precisa do trabalho dos governantes.

            Então, toda a discussão que era proposta para ser debatida, deixava de ser de interesse de todos e passava a ser uma disputa do ego de poucos.

        E parece que alguém notou isso!

            Que o desejo de todos era nada mais, nada menos, do que exibir o próprio ego e brilhantemente quem descobriu isso, deu a isso a cara que realmente tinha, até nomeou de “FACEBOOK” o livro da face de cada um, e com isso o Orkut como ferramenta para ser usada por todos caiu em desuso, para que cada um e individualmente tenham em suas mãos a sua própria ferramenta e usem como bem entendam!

            O Facebook é hoje usado por muitas pessoas como se fosse um imenso restaurante e todos de todas as classes podem entrar e exibir o que comem o que vestem o que fazem o que compram, onde trabalham, pra onde viajam... E como num restaurante cada um olha pra mesa do outro vê o prato que o outro come, como se veste e se porta e como num restaurante onde as pessoas vão para um encontro social, mas acabam mesmo cada um na sua mesa, com o seu prato e o seu ente convidado, entram, comem conversam um pouco olham os outros e por fim saem!

            E assim é a relação social que estamos vivendo hoje!

O Que Restou!

            Este ano de 2013 foi marcado pelo grande movimento social nas ruas.

            Mas o que é que todos queriam?

            Por fim o que restou mesmo foi: NADA!

            Temos um mundo novo para todos, cheio de possibilidades e ao mesmo tempo com um grande NADA se fazendo a cada momento, a cada dia.

            O modo que o ser humano está se relacionando com o mundo e consigo mesmo está deixando todos á beira de um grande abismo, estamos cada vez mais sensíveis aos fatos e invisíveis há querer causar uma mudança na ordem que a vida se move.

            Estamos todos distintos em si e indistintos aos outros, como no caso do nosso casal de mendigos que embora tivessem laços fortes de amor e companheirismo não havia uma distinção do que isso representaria em atitudes para manter essa união e bastou um simples ato para que tudo fosse desfeito.

            E assim as relações humanas acabam se perdendo em sentimentos que nos levam a ações de comoção coletiva ao mesmo tempo, nem ao menos sabemos o que queremos ou nos propomos a fazer em nós mesmos a mudança que queremos ver.

Copiar e Colar

            Konrad Zacharias Lorenz foi um cientista que em seus estudos tinha grande interesse na observação e no comportamento dos animais.

         Em sua pesquisa mais famosa ele incubou e observou o comportamento de gansos que assim que nasciam ao ter o primeiro contato com o primeiro ser que viam o seguiam e observavam seu comportamento. Os recém nascidos gancinhos ao sair do ovo adotaram o próprio Lorenz como sendo sua progenitora.

            Isso ocorre porque a natureza, não só dos gansos, mas de todos os seres, tem sua faze inicial de existência de modo simplificado, pois o ser precisa crescer e se adaptar ao meio em que vive, agir e interagir com o ambiente e de certa forma se harmonizar com as funções do seu próprio existir, então o que chamamos de instinto trata-se na realidade dos mecanismos naturais para que o ser ao longo de sua existência reconheça seu próprio ser, as funções que deve realizar para o desenvolvimento e manutenção do seu próprio existir e quais são as interações que devem ser reconhecidas com o mundo que o cerca. Assim a natureza não fornece ao gancinho como é a sua mamãe, apenas lhe diz que assim que ele sai do ovo a mamãe que passou o tempo todo chocando os ovos tem grandes possibilidades de estar lá no momento em que o gancinho sai do ovo, sendo assim o ser mais próximo é então a mamãe.
           
            Lorenz com a função de mamãe dos gancinhos passou a adaptá-los ao meio lhe mostrando o que os jovens gancinhos deveriam fazer para sua própria sobrevivência.

            Este estudo ganhou o nome de Etologia e mostra que somos seres copiadores e imitadores do meio em que vivemos.

            No geral este estudo se baseia em 5 princípios:

  1. O que causa?
Certamente as causas para o comportamento de cada um de nós estão diretamente ligadas ao comportamento de todos nós. Por isso ao ver uma pessoa que ao agir estupidamente parece gerar nos outros seres uma forma de prazer e satisfação, faz com que o comportamento estúpido seja imitado por todos. Geralmente isso acontece muito no comportamento escolar, onde as pessoas diante do mestre buscam defender sua ignorância com agressividade e o mestre por não revidar a atitude com o mesmo ímpeto acaba passando aos demais uma imagem de fraqueza.
Então para não sermos fracos imitamos a estupidez que em um primeiro momento nos trás certa vitalidade e empenhamos então nossas energias na agressão há aquele que representa fraqueza.

  1. Qual a função?
Obviamente a função disso é nos tornar forte imitando o comportamento do agressor. Por isso os mais estudiosos parecem ser os mais agredidos, já os mais estúpidos parecem cercados de amigos que sempre estão ali em função de observar o agressor, como a agressão acaba sendo regozijada por todos, a ênfase leva o ser a repetir este padrão de comportamento e neste caso, repetir isso nas redes sociais acabou destruindo a finalidade da própria razão do ser em estar em sociedade com seus semelhantes.

  1. Como se desenvolve?
Não nascemos com todas as funções de nossa própria personalidade, assim como os gancinhos que não estão cientes que eles são gansos, assumimos a personalidade do ser que está mais próximo, então desenvolvemos padrões de comportamento que embora seja um comportamento ruim não empenhamos nossa mente em distinguir já que a distinção traria ao ser a critica sobre o ser mais próximo e também sobre si mesmo.

  1. Como evolui?
Isso faz com que o ser passe a buscar evoluir os padrões de comportamento que em primeiro momento leva o ser a satisfação, portanto ao ver um aluno em estado de agressividade com o seu mestre e neste momento todos acham tal comportamento engraçado, imitar este padrão como imprinting (cunhar, carimbar) é de certa forma estar em um estagio evolutivo de maior satisfação, e este padrão de comportamento se repete nas redes sociais.
  1. E o quanto pode modificar!
Isso é visível principalmente aos pais que ao ver seus filhos em período escolar começa a perceber mudanças no padrão de comportamento e neste período se os pais simplesmente ignorarem ou não fornecer a sua prole a capacidade de senso critico sobre as mudanças que se vem notando, o comportamento que vem se cunhando passará a fazer parte do caráter de seus filhos.




Humanamente Relacionando

            As manifestações vividas no Brasil neste ano de 2013 é em suma um imenso compendio desta relação do nosso ser com o nosso próprio ser animal.

            Só aprendemos a ter certas relações humanas por uma necessidade de ter de trabalhar com o outro ser humano e nesta relação estamos sempre em estado de defesa do nosso ego, por ele ter se cunhado ao longo da vida sem um censo realmente humano,e por isso vemos pessoas reivindicando responsabilidades que por fim são suas próprias necessidades de serem honestos, de terem e agirem para o bem de sua própria saúde, de se sentirem seguras sem a necessidade de ter alguém fardado e armado, pronto para agir, em caso de algum de nós ultrapassarmos os limites do respeito ao próximo sem a obrigação de ser assim só pra garantir um bom sucesso profissional, precisamos mesmo é aprender a criticar, não o mundo a nossa volta, mas a criticar o nosso mundo interno, somos racionais e devíamos usar esta capacidade para olhar sobre nosso próprio agir e ver o quanto somos nós mesmos aquilo que não queremos ser.

            Mas por fim seguimos os passos dos outros que em primeiro momento são os primeiros passos que vemos, como gancinhos que acabaram de sair do ovo, seguimos as botas sem olhar para nossos próprios pés e vermos que o que realmente queremos ser, está em identificar em nós mesmos o nosso ser, se estamos sendo estúpidos com os outros buscar entender por que agimos assim?

            Que mal está em olhar para si mesmo e reconhecer a própria ignorância?

            Quando todos passarem a defender e a aplaudir e se alegrar com as ações realmente humanas no sentido de caráter do bem, em evolução real para termos mesmo um mundo melhor estaremos então manifestando em nós a mudança que queremos ver para com todos.